Ibovespa cai 2% com pessimismo global e crise política brasileira

A bolsa de valores brasileira B3 começa a semana em queda em meio ao aumento da preocupação mundial com a desaceleração econômica causada pela pandemia do novo coronavírus. O índice é pressionado pela queda do preço do petróleo

O Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, recuava 0,76% às 13h, para 78.988 pontos. A ação preferencial da Petrobras reduziu perdas e registrava queda de 0,17%, a 15,96 reais. Já a ação preferencial da estatal de energia elétrica Eletrobras, que chegou a perder 3,6% pela manhã, passou a subir 0,55%, a 29,49 reais.

O contrato futuro do barril de óleo tipo Brent, que é a referência usada pela Petrobras na sua política de preços, caiu 5,20% em Londres, para 26,62 dólares o barril. Já o petróleo WTI, que é negociado em Nova York, caia 40,56%, a 10,86 dólares, pelo desacasamento entre a queda da demanda e o aumento da produção nos Estados Unidos. A baixa é resultado da piora das expectativas em relação à crise provocada pela infecção respiratória covid-19. Com a desaceleração da economia, menos combustível vai ser necessário.

No Brasil, as previsões desanimam os investidores. O Produto Interno Bruto do país deve cair 2,96% neste ano, segundo a pesquisa semanal Focus, feita pelo Banco Central com analistas de mercado. No levantamento anterior, a retração estimada era de 1,98%.

À crise do coronavírus se soma a instabilidade política fomentada pelo presidente Jair Bolsonaro para depreciar as empresas brasileiras na bolsa. Ontem, desrespeitando novamente as recomendações de distancimento social para conter a disseminação da pandemia, Bolsonaro participou de uma manifestação em Brasília que pedia um novo Ato Institucional número 5 – que, em 1968, inaugurou o período mais duro da ditadura militar no país – e o fechamento do Congresso Nacional.

O presidente disse a um grupo de manifestantes que acabou a “época da patifaria”. “Nós não queremos negociar nada. Nós queremos é ação pelo Brasil. O que tinha de velho ficou para trás, nós temos um novo Brasil pela frente”, disse Bolsonaro, em meio a acessos de tosse, de cima da caçamba de uma caminhonete que usou como palco. Os comentários foram criticados por partidos de todo o espectro político.

Na manhã desta segunda-feira, 20, Bolsonaro usou mais uma vez a tática de desdizer o que havia afirmado para tentar colocar panos quentes na situação. Ao sair de sua residência oficial, o Palácio da Alvorada, disse a jornalistas que defende o Supremo Tribunal Federal e o Congresso “abertos e transparentes”.

por Denyse Godoy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.