As novas caras do Ministério da Justiça e da Polícia Federal

André de Almeida Mendonça, da Advocacia-Geral da União, no Ministério da Justiça e Segurança Pública, no lugar de Sérgio Moro. O delegado Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal.

Foram essas as soluções encontradas pelo presidente Jair Bolsonaro para tentar virar a página da crise gerada pela troca no comando da PF, que culminou com o pedido de demissão do então ministro.

O novo ministro da Justiça, pastor da Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília, integrava a AGU desde 2000, quando encerrou sua atividade como advogado concursado da Petrobras (1997-2000).

Alexandre Ramagem dirigia a Agência Brasileira de Inteligência. Antes, cuidou da guarda pessoal do então candidato à presidência, Jair Bolsonaro.

As mudanças ocorrem em meio à acusações de interferências na Polícia Federal. O presidente nega.

por Heron Cid

Um comentário sobre “As novas caras do Ministério da Justiça e da Polícia Federal

  1. Se tivesse como implodir esses contra (PTzada) esquerdopatas sem ter a quem acusar seria uma boa! Dividir o país em duas partes e mandar a esquerda pra um lado eles iam se deparar numa Venezuela pois não tem vontade de trabalhar! Iam roubar de quem?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.