O perigo da interiorização do coronavírus

O fenômeno já era esperado e até previsto pela Secretaria de Saúde do Estado. Agora, a interiorização do novo coronavírus é constatada.

Em Conceição, no Sertão paraibano, os números explodiram. Saltaram em poucos dias de oito para 69. Lá, o prefeito foi obrigado a decretar toque de recolher.

Em Sousa, também no Sertão, nas últimas horas foram diagnosticados mais 37 casos.

As mortes em Campina Grande preocupam. O crescimento de confirmações em Guarabira e Patos, também.

Na opinião do secretário Geraldo Medeiros, essas últimas cidades têm situações mais preocupantes e colhem resultados do que ele chama de “flexibilização atabalhoada”.

O que o secretário não disse, por motivos óbvios, é que um eventual surto no Interior colapsa as regiões e o sistema de saúde público nesses municípios teria enormes dificuldades de atender a demanda.

Com exceção de Campina Grande, dotada de melhor aparato.

Num português mais claro ainda: nas demais cidades polos, de menor porte, muitos doentes poderiam morrer por falta de estrutura suficiente. Sem nenhum exagero.

Essa realidade atual já alerta o que pode está por vir.

Então, ao cidadão resta fazer a parte que lhe cabe; o respeito ao distanciamento e o uso da máscara, e evitar o pior.

E não apenas confiar nas flexibilizações de ocasião e relaxar nos cuidados.

Porque o preço pode ser caro. O preço da vida. E não será pago por governantes e nem empresários.

por Heron Cid

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.