Juiz Antonio Eugênio condena falso professor a 11 anos de prisão, em Itaporanga

O juiz Antônio Eugênio Leite Ferreira Neto, da 2ª Vara Mista da Comarca de Itaporanga, condenou Deilton Aires Batista a 11 anos de reclusão por apresentar diplomas falsos de mestrado e doutorado. Ele teria exercido o cargo de professor universitário de uma faculdade particular em Patos, no Sertão da Paraíba, por pelo menos cinco anos.

De acordo com o Tribunal de Justiça da Paraíba, Deilton também conseguiu tomar posse no cargo de psicólogo do município de São José de Caiana, em um processo de seleção simplificada, devido à formação acadêmica que indicava ter.

Conforme com o processo, o homem também fraudou documentos particulares como atestados médicos, para justificar suas faltas no trabalho referente à contratação temporária no cargo de psicólogo.

A sentença leva em consideração penalizações pelas ações de estelionato, falsificação de documento público, falsificação de documento particular, uso de documento falso, crime continuado e concurso material. Ainda cabe recurso à decisão.

por Redação do Vale do Piancó Notícias com G1

Foto: Juiz Antônio Eugênio sentenciou/foto reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.