Ações de empresas de maconha disparam após início de transição de Biden nos EUA

Ações de grandes empresas de cannabis voltaram a subir nos Estados Unidos após a notícia de que a transição para o governo de Joe Biden começou formalmente. O aumento é alimentado por expectativas de que o próximo governo afrouxará as regulamentações, assim como mais estados dos EUA devem legalizar a venda de maconha para uso recreativo.

Nesta semana, a Canopy Growth teve alta de 13,3%, a Aurora Cannabis subiu 20,9% e a Tilray saltou 1,5%. Outros negócios de cannabis que se valorizaram incluem os líderes globais de cannabis Curaleaf (13,9%), Aphria (13,46%) e Cronos (9,3%) – esta tem um grande investimento da gigante do tabaco e proprietária da marca Marlboro, a Altria.

No início deste mês, eleitores no Arizona, Montana, Nova Jersey e Dakota do Sul liberaram o uso de cannabis para adultos, elevando para 15 o número de estados que já tomaram essa decisão.

Os executivos do setor declararam publicamente sua felicidade com o resultado da eleição. O CEO da Canopy, que tem o apoio financeiro da proprietária da cerveja Corona, a Constellation Brands , foi particularmente otimista sobre o que as mudanças no cenário político podem significar para o setor.

“Acreditamos que a vitória de Biden é um passo importante no caminho para a liberação da cannabis no mercado dos EUA por meio da descriminalização e da reclassificação [do uso da cannabis]”, afirmou o CEO da Canopy, David Klein, em uma recente teleconferência com analistas.

“Os resultados das iniciativas eleitorais mostram claramente que o apoio à legalização da maconha para uso adulto se estende por fronteiras geográficas e partidárias e é apoiado pela maioria dos norte-americanos. A maconha legal está se tornando a norma americana”, acrescentou.

“Isso provavelmente aumentará a pressão sobre o Congresso para aprovar uma grande reforma federal sobre a maconha em um futuro muito próximo”.

Apesar do otimismo, o setor enfrenta obstáculos no nível federal, especialmente se os republicanos mantiverem sua maioria no Senado após o segundo turno no estado da Geórgia em janeiro.

Um Senado liderado pelo republicano Mitch McConnell tenderá a manter as medidas legislativas de restrição à maconha, mesmo sob o governo Biden.

“Mitch McConnell só sabe dizer não”, comentou John Hudak, especialista em políticas de cannabis e vice-diretor da Brookings Institution. “Isso é algo que [ele] não gosta. Ele não vê os benefícios políticos”.

A posição é ruim para o setor, já que os líderes dizem que há urgência em abordar as principais lacunas regulatórias para empresas que operam dentro de sistemas jurídicos estaduais, enquanto o comércio do produto permanece ilegal a nível federal.

Os executivos da cannabis lembram que não podem obter financiamento tradicional porque estão sujeitos a uma lei tributária da década de 1980 elaborada para punir traficantes de drogas. Dizem ainda que têm dificuldade em segurar suas empresas e que não se qualificam para ajuda federal em casos de desastres.

Paul R. La Monica e Alicia Wallace do CNN Business contribuíram para este relatório

por Jordan Valinsky, do CNN Business, em Nova York

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.