Vacina contra Covid-19: 10 razões para se vacinar contra o coronavírus

A vacina Oxford-AstraZeneca para a Covid-19 foi autorizada para uso no Reino Unido, o que significa que milhões de doses de vacina a mais podem agora ser administradas no país. Isso irá acelerar o progresso no sentido de alcançar imunidade generalizada ao coronavírus.

No Brasil, essa vacina também é uma aposta das autoridades, já que o imunizante foi comprado pelo governo. No entanto, ainda não há data certa para sua aprovação e uso.

Desde o início da pandemia — e particularmente desde que as vacinas para covid-19 começaram a ser desenvolvidas —, muitas pessoas expressaram preocupações sobre sua segurança e eficácia.

Se você está entre aqueles que estão hesitantes em receber uma vacina covid-19 — ou se está se perguntando por que as vacinas são consideradas uma das maiores conquistas da humanidade —, aqui estão dez razões pelas quais você deve considerar a vacinação.

  1. Porque as vacinas salvam vidas

As coisas evoluíram muito desde que Edward Jenner vacinou pela primeira vez um menino contra a varíola em 1796. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a vacinação atualmente evite de 2 a 3 milhões de mortes todos os anos.

A varíola, que ceifou cerca de 300 milhões de vidas apenas no século 20, foi totalmente erradicada graças ao desenvolvimento e implementação de vacinas seguras e eficazes.

Para algumas pessoas hoje, a covid-19 também se mostra fatal. Se você está sob alto risco de contrair a doença, a vacinação pode salvar sua vida.

2.Para proteger sua saúde

As vacinas também nos protegem de muitas doenças debilitantes.

Antes do desenvolvimento das vacinas Salk e Sabin contra a poliomielite, era comum ver imagens dramáticas de pessoas usando pulmões de ferro ou de crianças paralisadas. Mas nas últimas três décadas, as vacinas levaram a uma redução de 99,9% nos casos de pólio.

E a Covid-19 pode ter efeitos de saúde duradouros. As vacinas também o protegerão contra isso.

  1. Para proteger e apoiar os serviços de saúde

Ser vacinado quando criança significa que você tem menos probabilidade de contrair doenças infecciosas ao longo da vida. Isso alivia a pressão sobre o serviço de saúde, que pode então dedicar seus esforços, recursos e equipamentos para ajudar pacientes com doenças não evitáveis.

Ser vacinado contra covid-19 ajudará exatamente da mesma maneira — liberando recursos, reduzindo o número de casos e evitando mais acúmulos de outros tratamentos.

  1. Para proteger os vulneráveis

Quando um número suficiente de pessoas é vacinado contra uma doença infecciosa como covid-19, a disseminação pode ser efetivamente interrompida, pois haverá poucas pessoas para infectar. Isso é conhecido como imunidade de rebanho.

Alcançar a imunidade coletiva significa que mesmo aqueles que não podem receber a vacinação (por exemplo, devido a doenças pré-existentes) estão protegidos.

  1. Porque elas são rigorosamente testadas

As vacinas são testadas em longos e grandes ensaios clínicos que envolvem dezenas de milhares de pessoas, e seus efeitos são monitorados mesmo depois de serem aprovados. A forma completa como as vacinas são desenvolvidas significa que são muito mais seguras e têm menos efeitos colaterais do que a maioria dos medicamentos existentes.

As vacinas para covid-19 estão sendo testadas da mesma forma que as vacinas para outras doenças. Elas foram desenvolvidas rapidamente graças à redução da burocracia, não porque os testes de segurança tenham sido menos minuciosos.

  1. Para economizar tempo e dinheiro

As vacinas foram amplamente reconhecidas como uma das intervenções médicas mais eficazes em termos de tempo e custo que você pode ter. A vacinação demora apenas alguns minutos e é muito barata (ou, para muitas pessoas, gratuita).

Por outro lado, contrair uma doença infecciosa significa tirar uma folga da escola ou do trabalho e, potencialmente, acumular pesadas contas médicas.

  1. Ser capaz de viajar com segurança

Viajar para outros países expõe você a patógenos com os quais seu sistema imunológico não está familiarizado. Ao receber as vacinas recomendadas para o seu destino, você poderá aproveitar suas férias sem arriscar uma visita de emergência a um hospital local ou trazer de volta insetos indesejados.

Da mesma forma, manter-se atualizado com o calendário de vacinação recomendado protege os habitantes do seu destino de férias de quaisquer infecções que você possa carregar consigo. Por esse motivo, as vacinas para covid-19 podem se tornar obrigatórias para viagens à medida que são lançadas.

  1. Para limitar a resistência aos medicamentos

A resistência antimicrobiana foi identificada pela OMS como uma das 10 maiores ameaças à saúde global (assim como a hesitação vacinal). O uso excessivo contínuo de antibióticos e antivirais faz com que bactérias e vírus se tornem resistentes a eles, resultando na disseminação de infecções intratáveis.

Pessoas mais idosas, em especial, precisam se proteger contra covid

Ao impedir que fiquemos infectados, a vacinação nos permite reduzir o uso de antibióticos e antivirais, limitando, portanto, a insurgência de cepas de bactérias e vírus resistentes a medicamentos.

  1. Para proteger as gerações futuras

Ao longo da história, a humanidade teve que coexistir com muitas doenças debilitantes e potencialmente fatais que agora são muito raras graças aos programas de vacinação infantil.

No entanto, a pandemia fornece um exemplo dramático do efeito global devastador que uma única doença pode ter na ausência de uma vacina. Imunizar a nós mesmos e a nossos filhos contra doenças infecciosas hoje é um presente inestimável para as gerações futuras. Suprimir as doenças no presente permitirá que as pessoas no futuro vivam mais e com mais saúde.

  1. Para evitar a propagação de notícias falsas

Pesquisas mostram que notícias falsas se espalham muito mais rápido e mais longe do que informações verdadeiras. Nas últimas décadas, as teorias da conspiração e a desinformação corroeram a confiança do público nas vacinas, levando ao ressurgimento de doenças quase erradicadas em muitos países.

Seguindo a orientação baseada em evidências da comunidade científica e médica, você não está apenas protegendo a si mesmo e seus entes queridos de doenças infecciosas, mas também dando um exemplo no combate à difusão de desinformação.

  • Alessandro Siani é coordenador na Escola de Ciências Biológicas da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido. Este artigo de opinião foi publicado originalmente no site de notícias acadêmicas The Conversation e republicado aqui sob uma licença Creative Commons. Leia a versão original deste texto (em inglês) no site.

por Alessandro Siani The Conversation

foto: Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.