Deputado da Paraíba quer prisão de Sergio Moro e Deltan Dallagnol

“O ex-juiz Moro e todos os envolvidos nas manipulações do processo contra Lula, não podem continuar impunes. Não creio que a justiça brasileira irá passar “panos quentes” nessa vergonha revelada nas conversas entre os procuradores, que buscaram todos os artifícios ardilosos para tirar Lula das eleições presidenciais de 2018″.

A declaração é do deputado federal Frei Anastácio (PT), em relação às divulgações de conversas que ocorreram entre o ex-juiz Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato, entre eles Deltan Dallagnol.

“Em nome da boa justiça, eles, sim, é que já deveriam estar na cadeia. O que esses homens e mulheres fizeram em nome da lei é vergonhoso. As conversas mostram de forma escancarada, a manipulação política e criminosa para condenar o ex-presidente Lula”, afirmou.

Frei Anastácio relata que uma das conversas entre Moro e Dallagnol mostra os dois combinando manipular a opinião pública, através da Globo e Estadão, inventando provas para fortalecer a acusação, combinando sentença e agilizando a condenação  para proferir a sentença e impedir a candidatura de Lula.

“É realmente uma vergonha para a justiça brasileira ter acatado o que a Lava Jato fez e ainda não ter tomado nenhuma posição concreta, para punir esses criminosos que se esconderam atrás dos cargos para condenar o ex-presidente Lula e favorecer Bolsonaro nas eleições”, disse.

por Redação do PB Agora

foto: Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.