Azevêdo explica caso da carga de arroz, chama de “marginal” quem publica desinformação e cita fake news

O governador João Azevêdo (Cidadania), explicou nesta terça-feira (8), durante entrevista ao programa F5, da 89 Rádio Pop, a situação envolvendo uma suposta compra de carga de arroz roubada pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária e criticou o deputado estadual Walber Virgolino (Patriota) por disseminar informações falsas sobre o episódio.

“O caso do arroz, o estado da Paraíba fez uma licitação para comprar produtos que são utilizados dentro da secretaria de Administração Penitenciária. Ao receber a carga entregue pelo fornecedor que foi o vencedor da licitação, a própria secretaria recebeu informações da carga, que identificou, no cruzamento [de informações] da secretaria da Fazenda, de que a carga era roubada, e aí fez a prisão do motorista. Já está aberto o processo para a apuração da responsabilidade do fornecedor para que tudo isso se apure. Não é o estado da Paraíba que comprou carga roubada”, explicou.

Falando diretamente ao deputado Walber, que disseminou informações falsas sobre o caso, João questionou como o deputado agiria se uma situação semelhante ocorresse com ele.

“Agora, perguntar ao deputado: se ele entrasse em um bar, e pedisse uma cerveja, e aquela cerveja tivesse sido roubada, como é que ele identificaria? Ou seja, isso é o aproveitamento rasteiro da política, que eu não entro nessa discussão”, falou.

Bolsa Desempenho

Azevêdo também comentou sobre outro episódio de fake news que ocorreu nesta terça-feira na Paraíba. Logo na manhã de ontem, o comunicador Emerson Machado informou que o governo estadual estaria suspendendo, a partir de junho, o pagamento da Bolsa Desempenho a policiais e outras categorias.

A notícia foi rapidamente desmentida pela própria procuradoria-geral do Estado, e posteriormente, o comunicador divulgou um vídeo se retratando da notícia falsa. Sobre o episódio, João Azevêdo classificou como uma “barrigada” do radialista.

“Essa outra informação da Bolsa, ela é mais uma barrigada, como vocês dizem na mídia. Uma barrigada de um jornalista, que quis causar um problema grande, dizendo que o estado já estaria obrigado neste mês a suspender todas as bolsas de desempenho. Não tem nada disso. Você que é policial, professor, fique absolutamente tranquilo. Isso é a chamada barrigada dentro do jornalismo e que infelizmente acontece porque tem incompetente em todo canto”, explicou.

Em outro momento da entrevista, Azevêdo criticou aqueles que espalham fake news, de qualquer que seja o tema, chamando de “marginal” quem o faz.

“Como é difícil fazer gestão e uma coisa que é tão importante nas nossas vidas que são as redes sociais, e sempre temos que utilizá-las para combater mentiras de marginais, por que quem produz fake news é um marginal por estar cometendo um crime. Quando se comete crimes, tem que ser tratado como marginal”, destacou.

por Polêmica Paraíba

foto: Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.