Militante incita ódio e agressões contra ‘patrões’ e ‘burguesia’

O militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e historiador Jones Manoel causou polêmica nas redes sociais por defender publicamente o “ódio de classe” entre trabalhadores e patrões, incluindo também o que ele chamou de “burguesia brasileira”. Em um vídeo divulgado em seu canal no YouTube, Manoel discursa para participantes de uma atividade no Sindicato da Construção Civil de Fortaleza.

– Tem que acordar todo dia querendo pegar pelos cabelos cada um daqueles ministros do STF. Se puxar pelo Fux, sai a peruca. O presidente da Câmara dos Deputados, presidente do Congresso, tem que odiar, tem que xingar. Tem que ver uma foto e ter raiva, ter vontade de cuspir, tem que odiar a burguesia brasileira e seus representantes – vociferou.

Jones Manoel defende ainda que não é possível ter diálogo com os “inimigos”. Ele cita nomes como Fernando Haddad e Marcelo Freixo como “exemplos” de políticos que, para ele, defendem o diálogo. No entanto, o militante diz que esta não deve ser a “estratégia”.

– A gente tem que se apresentar para a classe trabalhadora com uma radicalidade completa. […] Num dos países mais violentos do mundo, você quer diálogo pra quê? Para quem a política é um diálogo? Pra um [Fernando] Haddad? Pra um [Marcelo] Freixo, um Ciro Gomes? Pode ser. Mas, no movimento social, no sindicalismo, na luta pela terra, na luta pela reforma urbana, política não é diálogo e nunca foi.

por Pleno News

foto: Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.