Talibã decapita jogadora de vôlei e fotos vazam nas redes sociais

De acordo com o técnico da atleta em relato ao jornal The Persian Independent, Mahjubin Hakimi foi morta no início de outubro.

“Todas as jogadoras do time de vôlei e o resto das atletas femininas estão em uma situação ruim. Estão desesperadas e com medo. Elas foram forçadas a fugir e viver em lugares desconhecidos”, relatou o treinador, que usou pseudônimo de Suraya Afzali, ao Independent.

O Talibã, grupo que assumiu o poder no Afeganistão em agosto e segue perseguindo mulheres, decapitou a jogadora de vôlei da seleção juvenil do Afeganistão Mahjubin Hakimi
De acordo com relatos do técnico da atleta ao jornal 'The Persian Independent', Mahjubin foi morta pelos jihadistas no início de outubro, mas o caso foi divulgado recentemente por 'questões de segurança'
Mahjubin Hakimi era uma das principais jogadoras da equipe municipal de Cabul, capital do Afeganistão. Há poucos dias, as fotos foram parar nas redes sociais e mostravam, de acordo com o portal britânico 'Daily Mail', o que parece ser o corpo da jogadora de vôlei
Não é a primeira vez que o Talibã é relacionado à morte de jogadoras de vôlei. Em setembro, Zahra Fayazi, técnica e ex-jogadora da seleção afegã, relatou à
Ainda segundo o 'The Persian Independent', a atleta foi decapitada por praticar esportes sem o hijab (véu que cobre o rosto das mulheres) e por ser de origem Hazara, povo da Mongólia perseguido pelo Talibã

por R7 com informações do Lance

foto:foto: Divulgação/Instagram/@pab_neruda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.