“Manda quem pode, obedece quem não tem juízo”

As condutas e pensamentos fora da curva parecem tomar o espaço do discernimento que ainda parecia existir dentro das cabeças de algumas pessoas. Quando falo algumas pessoas, imaginemos milhares de mentes, por todos os lados desse país, que parecem não tomarem conhecimento do que é crítico, perigoso e faltal. Ou simplesmente descartar o que aparece como realidade, ignorá-lo. Embora saibamos das inúmeras necessidades que todos … Continuar lendo “Manda quem pode, obedece quem não tem juízo”

Comunismo, fascismo, achismo […]

Quando a luta é pelo devido direito de ser, ter, ir, vir ou existir, não há conceitos que sejam suficientes para derrubar a coletividade de uma nação erguida pela força de vontade, anseio por melhorias e estabelecimento de ideologias ao bem comum. Contudo, quando a gana pela ascensão se faz maior que necessidade e a suficiência da sociedade, o tempo abre espaços para memorosos episódios … Continuar lendo Comunismo, fascismo, achismo […]

Alcateia de “loucos”

Algo já está mais do que claro por essas terras. Sabem o nome deste país, residem nele, no entanto, nem de longe parecem conhecer – ou se importar – o tamanho de sua história, suas lutas, as dores e conquistas detalhadas no suor de seu povo. Como se não bastasse tamanha ignorância, a falta de senso de experiência e liderança padecem sob uma concha de … Continuar lendo Alcateia de “loucos”

Segue o líder!

Com o passar dos dias, após a idealização e seguimento de medidas determinadas a partir de imposições e a contraposição de ideias em máxima escala social com nível mundial, o Brasil conseguiu finalmente ser visto como um daqueles países de “primeiro mundo”. Primeiro em números desastrosos que, aplicados continuamente, refletem em boa parte de suas responsabilidades, fazendo rodear-se de questionamentos, dúvidas e incapacidades. O termo … Continuar lendo Segue o líder!

“Poder de estimação”

Fica cada vez mais evidente a desestruturação da vida humana que o poder causa entre aqueles que os buscam e daqueles que já os tem. Isso, sem mencionar aqueles que sofrem com o todo processo. Não é pelo dinheiro, tampouco as regalias ou os relacionamentos que esse postulado traz. É a sensação! É a posse! É o “se sentir dono e ordenador” de qualquer pensamento … Continuar lendo “Poder de estimação”

O jogo dos setes erros

Para um país acostumado a ter em volta de si o calor dos mais distintos curiosos e admiradores, encantados por sua terra e a multiplicidade cultural de seu povo, vê-lo estampar noticiários internacionais por suas escolhas nada assertivas e dificuldades de encaminhar suas lideranças ao social, chega a ser espantoso. Na verdade, o que hoje parece causar espanto jamais foi inesperado, apenas parecia não ser … Continuar lendo O jogo dos setes erros

Brasil, o país do faz de conta

Tempos vividos como o atual momento não precisam de muito para se tornarem caos e medo diante de todos. Seus próprios desdobramentos – sem fazer muito esforço – tomam conta de parte da história, reescrevendo vidas, adicionando perdas e modificando pensamentos. Assim, temos o pior dos cenários, onde quem pode fazer muito faz pouco, quem pode fazer pouco é impossibilitado de fazer qualquer coisa e, … Continuar lendo Brasil, o país do faz de conta

É melhor “Jair” se acostumando?

A sina das escolhas equivocadas, que traz consigo as esperanças desgastadas, os esforços desperdiçados e as lutas diárias transformadas em tempo perdido, parece estar se consolidando a cada nova “atrapalhada” como o peso pelo o qual carregaremos em nossos ombros ainda por muitos verões. Fica até complicado isentar dessa cômica tragédia aqueles que “não tem culpa”, já que essa culpabilidade é uma medida de peso … Continuar lendo É melhor “Jair” se acostumando?

Tudo passa! Os maus costumes não, eles ficam

Pensar que viveríamos ao ponto de presenciar toda uma sociedade retroceder em seus avanços, envaidecida e afundada em egocentrismo e sede pelo estrelado, seria um pensamento desafiador até para o maior dos pessimistas. No entanto, como a própria realidade se responsabilizou por tal condenação, o que restaram foram pessoas confusas em suas próprias escolhas e espaços esquecidos pelos seus mesmos benfeitores. E sem ter a … Continuar lendo Tudo passa! Os maus costumes não, eles ficam

O vírus que escancarou os níveis de desigualdades no país

Nesse momento em que o mundo se veste de dor e preocupação, a sociedade – bem como aqueles que nela habitam – colocada como ponto frágil em meio a tantas outras, fez eclodir faces outrora esquecidas, mas jamais desconhecidas. Faces que revelam o lado menos noticioso e valorizado, sem audiência, contudo, indispensável para as estatísticas e estratégias. O vírus que poderia chegar, chegou. Que poderia … Continuar lendo O vírus que escancarou os níveis de desigualdades no país

E quando a verdade não sobrepõe a conveniência?

Estruturas sociais degradadas pela falta de senso organizacional, bem como a perda de voz ativa em algumas esferas, a exemplo das políticas, educacionais e culturais, passam longe de serem os únicos ônus que escandalizam diariamente as plataformas noticiosas mundo a fora. A escassez de entendimento diante das manobras ideológicas pulverizadas pela comunicação soa cada vez mais normal, em uma sociedade que sobrevive do seu alcance, … Continuar lendo E quando a verdade não sobrepõe a conveniência?

“Politicagem”, um vírus sem cura

Não é preciso ser um máximo entendedor de Ciência Política para conseguir enxergar quando suas bases se modificam de estado íntegro e respeitoso para egocentrismo e falta de consciência de poder. Para isso, basta sentir a presença de qualquer resquício de contradição a uma posição defendida que, por sua vez, atribui-se aos sentimentos e forma romantizada de enxergar algumas coisas. Em outras palavras, fanatismo. O … Continuar lendo “Politicagem”, um vírus sem cura